JOIN VISITAEQUIPE

O Secretário de Administração Prisional e Socioeducativa, Leandro Lima, fez uma inspeção no Complexo Penitenciário de Joinville nesta terça-feira (23) para acompanhar as rotinas da unidade e andamento das obras de reforma e ampliação do Presídio, em cumprimento ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado com o Poder Judiciário.

Além de percorrer as galerias do Complexo onde os internos estão alocados, Leandro Lima vistoriou a cozinha, rouparia, área de estoque de alimentos e de produtos de limpeza e a sala de controle do Circuito Fechado de TV (CFTV), de onde é possível monitorar a unidade.

Na penitenciária esteve também na sala da Banda Acordes para a Liberdade, integrada por internos que já se apresentaram inclusive em eventos da SAP e na Biblioteca. “O sistema prisional está vivo pelas mãos dos operadores que, diariamente, enfrentam a atividade e executam suas missões com muito êxito. Quero parabenizar todos os agentes penitenciários, operadores e gestores que atuam no Complexo Penitenciário de Joinville pelo belíssimo trabalho que vem sendo realizado”, observou o titular da SAP.

JOIN VISITABAT

Sala da Banda Acordes da Liberdade, na Penitenciária de Joinville

Ampliação e Reforma

Em seguida, visitou as obras de reforma e ampliação que prevê a demolição de dois pavilhões antigos dando lugar a duas novas edificações com 123 vagas. Neste espaço, além das celas, a arquitetura prisional também prevê áreas para oficinas de trabalho e ensino, com formação regular e profissionalizante.

As novas galerias de celas da unidade também serão construídas com controle aéreo, o que aumenta as condições de segurança dos agentes penitenciários, dos internos, da unidade e de todos que ali trabalham. Também estão previstas melhorias nas condições de armazenamento de água através da instalação de novos reservatórios de água.

Em razão do modelo de licitação por Concorrência Pública pelo menor preço, o valor final da obra ficou em R$ 8,1 milhões, resultando numa economia de R$ 2,9 milhões uma vez que o valor inicial orçado era de até R$ 11 milhões.