23PM GEMOP

As políticas públicas de proteção à mulher vítima de violência estão ganhando cada vez mais força em Santa Catarina e a tecnologia pode ser aliada decisiva quando se trata de defender a vida. Uma parceria entre a SAP, a PMSC e o TJSC poderá ampliar a capacidade de atuação da Polícia Militar em casos envolvendo a Lei Maria da Penha.

O primeiro passo para a construção do projeto que pode dar mais agilidade aos policiais no atendimento de ocorrência deste tipo foi dado nesta terça-feira (23) com a visita do Tenente Coronel Eduardo e do Capitão Rossi, à Gerência de Monitoramento e Operações Penitenciárias (Gemop) da SAP. Eles vieram conhecer o sistema que faz o controle do monitorado que usa tornozeleira eletrônica. “Nosso sistema nos permite fazer um mapeamento, por exemplo, de todos os monitorados  que usam tornozeleira por conta da Lei Maria da Penha. Se identificarmos que ele violou a área de inclusão e está se aproximando da casa da família, a PM terá acesso a essa informação e poderá socorrer a vítima com mais rapidez”, observou Marcio do Nascimento, Gerente da Gemop.

Para os Policiais Militares que atuam na área de inovação e tecnologia da PMSC essa integração pode representar um passo importante na defesa da mulher vítima de violência. O Tenente Coronel Eduardo, chefe da PM7, e o Capitão Rossi ressaltaram que o aplicativo PMSC Cidadão permite que mulheres vítimas de violência doméstica possam acionar a Polícia Militar através do botão de pânico e um passo importante seria a evolução dos sistemas para que as violações possam ser informadas a PMSC em tempo real, assim diminuindo o tempo resposta para o atendimento dessas ocorrências.