29copos

A substituição de copos descartáveis por reutilizáveis na Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP) pode parecer uma ação simples, mas com uma importante repercussão financeira e ambiental. A decisão de fornecer um copo reutilizável para cada servidor vai resultar numa economia estimada em R$ 80 mil por ano, além de evitar que milhares de copos – que levam pelo menos 250 anos para se decompor – retornem à natureza.

A iniciativa está alinhada com as políticas de sustentabilidade do Governo do Estado. “Os novos hábitos vêm pela conscientização e é isso que estamos buscando ao entregar um copo reutilizável a cada servidor que atua na SAP”, observa o titular da SAP, Leandro Lima.

Os copos são feitos em polipropeno, um tipo de plástico mais resistente e lavável do que as versões tradicionais de descartáveis. Cada unidade tem impresso a logomarca da SAP e espaço para registro do nome do servidor, além da frase “Pense no global, aja no local”, forma de chamar a atenção para as pequenas ações que, somadas, geram grandes resultados.


29CONSUL URUGUAIO secretário de Administração Prisional e Socioeducativa, Leandro Lima, recebeu a visita do Cônsul Geral do Uruguai em Florianópolis, Daniel Botta Luquin, na sede da SAP, em Florianópolis. Na oportunidade o Cônsul conheceu o modelo de gestão do sistema prisional catarinense, considerado referência no Brasil, por oferecer, trabalho que gera renda para o interno e para a unidade prisional, capacitação profissional e escolarização.

“Foi um encontro cordial e produtivo onde discutimos a importância do trabalho, da educação e da implementação de ações de socialização para os internos de unidades prisionais, itens que consideramos fundamentais para a reabilitação social e econômica do egresso”, observou o secretário Leandro Lima. O Diretor do Deap Deiveison Querino Batista também participou do encontro.

reuniaosocioeducativocasesjose

O Secretário de Administração Prisional e Socioeducativa (SAP), Leandro Lima, coordenou nesta terça-feira (28) uma reunião entre gestores do sistema socioeducativo e áreas estratégicas da SAP. No encontro, realizado no Centro de Atendimento Socioeducativo Regional de São José, o grupo discutiu as demandas, procedimentos e soluções para problemas comuns nas unidades.

Diretores das áreas estratégicas da secretaria participaram da reunião. “Buscamos tomar as decisões em conjunto, ouvindo as opiniões e anseios de todos os envolvidos no sistema”, afirma o diretor do Dease, Zeno Tressoldi.

Além da reunião, o secretário fez uma visita à unidade. “Fiquei bem impressionado com a organização, a estrutura e com as equipes operacionais e administrativas”, disse Leandro Lima. 

Toda a movimentação do Case de São José é monitorada por 110 câmeras e a revista das visitas é feita por meio de escâner corporal. A unidade conta com salas de aula, oficinas de capacitação, lavanderia, atendimento médico e odontológico, espaço para receber a família.

9e413714 3212 40bc ab81 3176d3ddcdb0

EDUCAÇÃOFOTOENCCEJA

Cerca de dois mil reeducandos dos sistemas prisional e socioeducativo de Santa Catarina estão habilitados para receber a Certificação do Ensino Fundamental e Médio por meio da aprovação no Encceja PPL (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para Pessoas Privadas de Liberdade). 

Ao todo, 6.078 reeducandos do sistema prisional fizeram a prova e 2.067 tiveram aprovação total no exame. No sistema socioeducativo, dos 207 adolescentes que prestaram o Encceja PPL, 31 tiveram aprovação em todas as áreas. O secretário da Administração Prisional e Socioeducativa (SAP), Leandro Lima, conta que aumentar a escolarização dos reeducandos é fundamental para o processo de reabilitação social e econômica. “Sabemos que o interno do sistema prisional e o adolescente em cumprimento de medida socioeducativa vão retornar para a sociedade então temos que oferecer as condições para que retornem melhores ao convívio social”, observa Leandro Lima. 

Entre os destaques nos resultados, 10 internos do sistema prisional conseguiram a nota máxima na redação do exame. Destes que alcançaram a nota máxima, dois são da Penitenciária Industrial de São Cristóvão do Sul; dois da Penitenciária Industrial de Joinville; um da Unidade Prisional Avançada de Imbituba; um do Presídio Regional de Blumenau; um da Penitenciária Sul, de Criciúma; um da Penitenciária Agrícola de Chapecó; um do Presídio Regional de Criciúma e uma interna do Presídio Regional de Rio do Sul.

A aprovação no Encceja garante aos reeducandos e socioeducandos a possibilidade de prosseguir com os estudos durante o período em que estão privados de liberdade. O exame, aplicado pelo Inep, é uma alternativa para o interno que não concluiu os estudos na idade adequada e serve como oportunidade de obter os certificados do ensino fundamental e médio.

O Encceja Nacional PPL é dividido em quatro provas objetivas por nível de ensino e uma redação. Para os que buscam a certificação do ensino fundamental, as quatro provas são: Ciências Naturais, Matemática, Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes Educação Física e Redação e História e Geografia. Já para o ensino médio, serão aplicadas provas de conhecimentos relacionados a: Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação, além de Ciências Humanas e suas tecnologias.

O participante é considerado habilitado para receber a Certificação de Conclusão do Ensino Fundamental ou Médio se atingir o mínimo de 100 pontos em cada uma das áreas de conhecimento, além de cinco pontos na redação. Ele pode receber também a Declaração Parcial de Proficiência, por área de conhecimento.

Confira o número total de aprovados por unidade:

Unidades Prisionais

Unidades Socioeducativas