sistema seguro Presídio Regional de Joinville 7

O Departamento de Polícia Penal reforçou as ações preventivas de segurança no Presídio Regional de Joinville. Nesta quarta-feira (13) ocorreu mais uma edição da operação Sistema Seguro, que contou com a participação das equipes especializadas Grupo Tático de Intervenção (GTI) e Divisão de Operações com Cães (DOC), além de policiais penais da Penitenciária da Capital e da Penitenciária Industrial de Joinville, como também todos os servidores do Presídio Regional de Joinville.

De acordo com o Superintendente de Operações, Robson Oliveira, foi feita uma vistoria geral na unidade. “Além da revista estrutural para identificar vulnerabilidades na infraestrutura também foram apreendidos materiais ilícitos. Importante frisar que estamos intensificando estas ações e todas as unidades”, disse Oliveira.
A operação ocorreu sem incidentes e, por questão de segurança, os resultados a ação não serão divulgados.

Internos da CSL de Blumenau produzem ovos de Páscoa 1

Os internos da Casa de Semiliberdade de Blumenau, instituição ligada ao Departamento de Administração Socioeducativa (Dease), participaram nesta quinta-feira (13) de uma oficina de produção de ovos de Páscoa. Durante a atividade pedagógica, o instrutor da oficina, Ray da Costa Sobrinho, ensinou os internos as técnicas para trabalhar com o chocolate, modelagem e embalagem dos ovos, cuja produção será consumida pelos adolescentes em conflito com a lei que estão cumprindo medida socioeducativa na unidade.

“A oficina busca despertar nos adolescentes o interesse pela culinária, através da confecção dos ovos de Páscoa. A ideia é que eles aprendam a técnica, como opção de trabalho, e também que se sintam valorizados, ao receberem os ovos que eles mesmos produziram”, disse Ana Maria Cipriani Pandini, gestora da parceria do Dease com o Instituto Ineces. A CSL Blumenau é coordenada por Elisiana Gonçalves da Maia.

Internos da CSL de Blumenau produzem ovos de Páscoa 3

Policiais penais do HCTP entregam doces 4

Policiais penais do Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico (HCTP) em conjunto com os da Divisão de Operações com Cães do Departamento de Polícia Penal (DPP) fizeram duas importantes ações para ajudar o Lar Recanto do Carinho, em Florianópolis. Na segunda-feira (11), os policiais penais entregaram para as crianças saquinhos com doces, uma forma de marcar a Páscoa.

Depois de receberem os saquinhos de doces, mais uma atração que encantou a garotada: a apresentação do Pastor Yanquee, cão treinado para identificar armas e drogas em unidades prisionais que, nas suas horas de folga, se diverte por meio de brincadeiras que encantaram professores, alunos e policias penais.

Policiais penais do HCTP entregam doces 3

“Com recursos que arrecadamos, de forma espontânea, entre servidores e amigos do HCTP, compramos balas e chocolates e mantimentos para entregar às crianças para festejar a Páscoa”, disse o policial Penal Eduardo Guimarães, que com apoio dos colegas viabilizou a compra dos doces e de 144 litros de leite, que foram entregues nesta quarta-feira (13), ao Lar Recanto do Carinho.

Policiais penais do HCTP entregam doces 2

mantas para protetores de animais 5

O Presídio Regional de Tijucas está desenvolvendo uma importante ação para estimular a reabilitação social e econômica dos internos. A unidade tem uma oficina que fabrica mantas e que gera emprego para os apenados. Com as sobras dos materiais usados na fabricação dos cobertores, os internos montaram mantas que foram doadas para organizações de proteção de animais, localizadas em Tijucas. Nesta terça-feira (12), o Presídio fez a entrega de 500 mantas para o Grupo de Operações e Resgate (GOR), organização não governamental que atua na região de Tijucas, Itapema e Porto Belo e tem apoio da Cidasc.

Para o Secretário de Administração Prisional e Socioeducativa, Edemir Alexandre Camargo Neto, o trabalho, o ensino e a capacitação profissional são imprescindíveis para que interno tenha condições de retomar sua vida, quando ganha a liberdade. “O apenado vai retornar à sociedade e o sistema prisional catarinense oferece as condições para que saia da prisão com uma nova perspectiva de vida”, assinalou o Secretário da SAP.
O Diretor do Presídio Regional de Tijucas, Carlos Alberto Raulino Junior enfatizou que a atividade forma um ciclo do bem. “Reutilizamos sobras de materiais, despertamos no interno um sentimento pertencimento à sociedade e ainda auxiliamos as instituições de proteção animal que usam os cobertores para proteger animais em situação de abandono ou vítima de maus-tratos”, disse Raulino Junior.

mantas para protetores de animais 8

Pelo trabalho na oficina, os internos recebem um salário mínimo, pago pela empresa que os contrata. Deste total 75% ficam com o interno e os 25% restantes são destinados para o Fundo Rotativo Regional. “O interessante é que eles fazem essas mantinhas aos sábados, quando não estão trabalhando, o que enriquece ainda mais o caráter social desta ação,” concluiu o Diretor do Presídio Regional de Tijucas.

mantas para protetores de animais 10